Uma corte da Europa decidiu que funcionários terceirizados passarão a ser remunerados, também, pelo tempo que levam indo e voltando do trabalho.

O intuito é garantir pela segurança e saúde dos trabalhadores freelancers que, por lei, não podem trabalhar mais de 48 horas semanais. Desta maneira, as horas que eles passam se locomovendo até o trabalho serão contabilizadas como tempo de trabalho.

 

europa-2020-inovacao-tecnologica-em-transporte

 

Segundo a decisão da corte, “Fazer com que um trabalhador pague pelas decisões das empresas vai contra o objetivo de proteger a sua saúde e a segurança, incluindo a necessidade de um tempo satisfatório de descanso”.

A decisão foi motivada depois que uma empresa espanhola passou a ter escritórios apenas em regiões centrais, obrigando com que os funcionários de regiões periféricas levassem mais tempo para se deslocarem.

Mas se por um lado esta obrigatoriedade parece favorecer os trabalhadores, por outro também há a possibilidade de as empresas apenas contratarem quem resida nas suas proximidades.

A única certeza é que a mobilidade tem grande impacto na vida e no bem estar de todo e qualquer cidadão.

 

como-os-apps-mudam-a-mobilidade-urbana-640x410

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *