“Nos sentimos felizes, ativos, vivos, úteis”, diz Isabel Paço, 63, moradora do Porto, em Portugal. Ela é uma das participantes do Lata 65, um projeto que ensina pessoas da melhor idade a grafitar.

Criado em 2012 pela pela arquiteta Lara Seixo, ela disse aqui nesta reportagem da Folha de S. Paulo que uma das metas do Lata 65 é devolver os idosos ao espaço público. “As cidades estão bombardeadas pela arte urbana. É uma questão de inclusão, porque eles passam a entender o que é feito na cidade deles”.

O projeto só aceita participantes acima de 65 anos e a maior parte do grupo, que já está na sua 23ª edição, é formada por mulheres.

A logomarca do Lata 65  (imagem abaixo) foi desenhada por uma das participantes do projeto que, inclusive, chegou a ser presa pela polícia ao ser flagrada grafitando um muro sem autorização. Obviamente, ela foi liberada após pagar uma fiança.

Eduardo Machado, 70 anos, é um dos poucos homens a participarem do projeto. “Sempre admirei os grafites feitos por essa gente nova. Alguns fazem rabiscos a vida toda, mas outros se aperfeiçoam. Eu nunca tinha me imaginado assim, no meio da cidade, pintando uma parede. Aconteceu!”.

E você, o que achou deste projeto?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *